Artigos

A ESSÊNCIA DO ASANA

Começar a praticar Yoga é uma tarefa que exige atenção e estudo. Até mesmo a nossa prática de asana produz resultados negativos e positivos, como toda e qualquer ação que fazemos no mundo. Cabe a nós conquistarmos gradualmente uma atenção mais refinada que nos leve à redução dos efeitos negativos e ao melhor aproveitamento dos efeitos positivos.
Portanto, para que nosso caminho traga os resultados desejados, devemos tornar claros alguns conceitos básicos. Toda a prática de Yoga está alicerçada em dois conceitos: Viyoga (separação) e Samyoga ( união com algo). De uma forma simples, isso significa que devemos nos separar daquilo que é prejudicial em nossa vida (viyoga) e, ao mesmo tempo, nos envolver com o que é produtivo e que desenvolva em nós qualidades como bondade, coragem, paciência e compaixão (samyoga). Agimos, então, duplamente. Nos afastamos do que é prejudicial e nos ligamos àquilo que desenvolve nossos potenciais mais elevados. Este conceito deve estar presente não apenas na prática de asana, mas também em nossas ações cotidianas. Compreender verdadeiramente os conceitos de viyoga e samyoga pode transformar profundamente nossa maneira de agir no mundo. Com relação ao asana, que é a nossa prática formal, isso significa abandonar comportamentos negativos no trabalho com o corpo e com a respiração e desenvolver um caminho gradual e inteligente que nos leve ao objetivo que escolhemos. Para que isso seja possível devemos perseguir a todo momento duas qualidades durante a execução do asana: Sthira (atenção, estabilidade) e Sukha (tranqüilidade, suavidade). Para isso é necessário que adaptemos o asana de acordo com nossas características individuais e que encontremos a união da suavidade com a estabilidade a nível prático, tanto física quanto mental. Sem isto não há asana.
O Yoga Sutra II.46 assim define asana: Sthirasukhamasanam. Ou seja, asana é sthira e sukha. Se não há sthira e sukha não estamos fazendo yoga, não estamos praticando asana. Ambas as qualidades devem estar presentes em mesmo nível. Devemos desenvolver a estabilidade e a atenção de sthira juntamente com a suavidade e a leveza de sukha. Este princípio de yoga só está preenchido quando praticamos um asana por um certo período de tempo e podemos nos sentir atentos e tranqüilos enquanto o praticamos. Para que este conceito esteja protegido em nossa prática é que existem todas as outras regras como, por exemplo, desenvolver um caminho gradual de acordo com as características de cada pessoa, unir a respiração com o movimento e muitas outras. O cuidado e o respeito em relação às nossas preciosas ferramentas, que são o corpo físico e a respiração, são fundamentais nesse contexto.

Organização do texto: Jorge Luís Knak
Bibliografia: “The Essence of Yoga” - Bernard Bouanchaud
“The Heart of Yoga” - T.K.V Desikachar; “Yoga for Wellness” - Gary Kraftsow.

.